Realização:

Mostra Brasileira de Ciência e Tecnologia

Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia

  • Português
  • Español
  • English

Feira Nacional da Argentina

Está acontecendo, de 1º a 04 de novembro, a Feria Nacional de Educación, Artes, Ciencias y Tecnología, em Córdoba, Argentina. Com 700 projetos de modalidades desde a educação infantil até o ensino superior, abrangendo escolas rurais, educação hospitalar e doméstica, educação de adultos e educação carcerária, o evento conta com a presença do Brasil, México, Colômbia e Peru, entre os projetos de nível médio e técnico, onde estão apresentados mais de 400 pesquisas.

Os projetos “Microencapsulamento de óleos de citrus: uma alternativa para uso do limoneno”, de autoria das estudantes Daniele Kowalski e Paloma Schmidt Marques e “Readequação do sistema de comunicação entre idosos e cuidadores no lar São Vicente de Paula”, das estudantes Aline Lorscheiter e Nicole Viana Andelieri, credenciados na 30ª Mostratec, são os únicos representantes brasileiros.

Ainda na segunda feira, 31 de outubro, as delegações estrangeiras foram recebidas pelo Coordenador da Feira, Horácio Tignanelli, e pelo Coordenador da Avaliação de Projetos, Professor Ernesto Scheiner, quando foram compartilhados dados referentes ao programa nacional de feiras de ciências da Argentina e os procedimentos de avaliação.

Criado em 2010, o programa promove o desenvolvimento de feiras nas escolas como uma proposta educativa de melhora das aprendizagens e do ensino. São realizadas entre 800 e 900 feiras de ciências anualmente no país, sendo 250 regionais e 24 provinciais – que credenciam os projetos para a Feira Nacional, que envolve em torno de 2.000 estudantes e 1.000 professores.  Segundo o coordenador, estima-se que 1.800.000 pessoas por ano foram envolvidas no processo, sendo que 80% das escolas participantes são públicas.

A avaliação envolve, aproximadamente, 600 professores de todo o país e não tem caráter classificatório ou competitivo. “Não há certamente, não há ganhadores, não há perdedores. Todos os trabalhos que participam receberam alguma distinção para estar aqui. O que vem aqui é literalmente uma pirâmide invertida, para cada projeto presente, há milhares que foram desenvolvidos”, salientou Ernesto às delegações internacionais. Cada projeto, entretanto, recebe um feedback dos avaliadores, tanto oral como escrito, entendido como um “caminho de melhoria” que sugerido para os pesquisadores. Entre os projetos, há distinções e menções especiais, definidos sempre consensualmente entre os avaliadores de cada área – entre 80 distinções e 280 menções especiais são previstas.

A terça-feira (1º), foi marcada pelo ato de abertura da feira, em um angar da Fábrica Argentina de Aviões (FAdeA), com a presença de aproximadamente 3.400 pessoas, incluindo diversas autoridades como Esteban Bullrich, Ministro da Educação da Argentina, Walter Robledo, Ministro de Ciência e Tecnologia da Província de Córdoba e Juan Schiaretti, Governador da Província de Córdoba, além da imprensa local e nacional. A cerimônia teve apresentações artísticas e muita interação entre as delegações, além da homenagem ao professor de física Dr Alberto Maiztegui, que é reconhecido como criador das feiras de ciências no país, há 50 anos. Ao término do ato, as delegações estrangeiras ainda tiveram a oportunidade de visitar a fábrica da FAdeA, onde são montados pequenos aviões agrícolas e militares. À tarde, teve início a visitação pública e o processo de avaliação, no Complexo Ferial de Córdoba.

As atividades da feira seguem até a próxima sexta-feira (04), quando ocorre a cerimônia de encerramento e entrega das menções e distinções.

Galeria de fotos

Comentar